Antes de assinar o contrato para a compra de um imóvel do “Minha Casa, Minha Vida” (MCMV), os futuros proprietários precisam ter muita cautela. Especialistas ouvidos pelo EXTRA deram quatro dicas que devem ser seguidas por quem pretende adquirir um apartamento pelo programa. Veja abaixo:

Escolha o menor prazo de pagamento

No momento da contratação do financiamento, é importante prestar atenção ao prazo de pagamento do imóvel. Prazos menores são os mais indicados, já que o MCMV tem um regime rígido para retomada do imóvel em casos de inadimplência. A sugestão é não deixar acumular três prestações em atraso e, se necessário, buscar o banco para uma renegociação.O consumidor deve estar atento também ao valor final da taxa de juros e, principalmente, à parcela mensal a pagar.

Incorpore as taxas extras ao financiamento

Além do financiamento do valor do imóvel, é preciso arcar com uma série de outras despesas, como imposto de transmissão, o ITBI, a taxa de escritura, e até os custos com o registro de imóveis. Todos esses custos podem ser incorporados ao financiamento.

No MCMV, consumidor não paga custos do ITBI

No caso dos consumidores do MCMV, o financiamento de despesas cobre apenas custos cartorários e de ITBI de imóveis já prontos, com o Habite-se. Podem ser destinados para o pagamento desses gastos até 4% do valor aprovado para o financiamento. A principal vantagem é que o valor das despesas fica incorporado ao financiamento.

Compare as condições de financiamento

É preciso verificar e comparar as condições oferecidas pelas agências bancárias, inclusive o preço final com todos os complementos. Outra dica é avaliar o melhor plano de financiamento, com prestações decrescentes. O consumidor deve verificar ainda todas as dívidas para efeito de composição da renda a ser apresentada para o financiamento. Solicitar à instituição financeira o crédito do financiamento também é aconselhável.

COMPARTILHAR